sábado, 21 de julho de 2018

Reajuste de aluguel - Parte I

Nesse post irei dar uma dica simples de como você pode diminuir o valor do seu aluguel simplesmente lendo o contrato.

A verdade é que a maior parte dos brasileiros que assinam um contrato não o fazem com a devida atenção. E mesmo aqueles que leem cuidadosamente um contrato antes de assiná-lo, esquecem das cláusulas posteriormente.

Ano passado tivemos deflação no IGPM (Índice Geral de Preços de Mercado), o qual é aplicado como referência no reajuste de aluguel na grande maioria dos contratos imobiliários.

Após o segundo semestre do ano passado, antes mesmo de ser noticiado amplamente pela mídia a deflação no respectivo índice, eu já tinha verificado que no caso do meu contrato de aluguel no qual sou locatário, o reajuste seria negativo.

Como há uma Administradora de aluguel que fez o intermédio do meu contrato com a proprietária do imóvel e recebe comissão do aluguel, tenho certeza absoluta de que a Administradora JAMAIS iria me comunicar o seguinte: "Senhor IM, a partir do próximo mês você não deve pagar mais R$2.000,00 de aluguel, mas sim R$1.980,00".

Por outro lado, se houvesse reajuste para majorar o valor, tenho certeza de que o boleto do aluguel viria "certim" com a correção devida (ou até mesmo indevida, maior que a correção do índice).

Aliás, mesmo com reajuste negativo no índice, o que eu soube por aí é que inúúúmerrasss pessoas tiveram reajuste no aluguel para aumentar o valor! Mas inúúúmeras mesmo! E pessoas que poderiam ter o reajuste negativo do seu aluguel. Ou seja, aproveitam do desconhecimento dos locatários para "empurrar" um aumento e ... "se colar, colou!". Para mim, que sou procuro ser extremamente correto nas minhas obrigações, isso é safadeza, má-fé!

Então a dica é a seguinte: leia o contrato e faça-o valer. Simples assim. Se o parâmetro do reajuste é o IGPM, então simplesmente vamos aplicá-lo, ocorra inflação ou deflação dele.

Um cuidado que deve ser tomado é que há alguns contratos trazem a possibilidade de manter o valor do aluguel no caso do IGPM do período de atualização for negativo. Não é o caso do meu contrato. Aos leitores recomendo atenção quanto a esse tipo de cláusula e, se possível, exigir a exclusão desta cláusula. Justo para um lado e justo para o outro!

Qualquer um pode saber qual o valor do aluguel reajustado. Basta entrar nesse link: https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormCorrecaoValores.do?method=exibirFormCorrecaoValores

Abaixo segue o modelo de e-mail que encaminhei para a proprietária-locadora do imóvel que moro:

>>> INÍCIO


Prezada FULANA, bom dia. Tudo bem?


Em transparência e respeito a você, e também em consonância com o contrato de locação firmado entre nós, informo o reajuste do aluguel a partir deste mês referente ao apartamento n° 100 situado na rua Bossa Nova, nº 10, bairro Centro, na cidade de Ibiza, que passará a ser de R$**** (valor por extenso).
O reajuste aplicado foi o IGP-M (FGV), previsto na cláusula terceira, § primeiro do contrato.
Tendo em vista a redução do valor, caso você tenha interesse em negociar o valor, coloco-me à disposição.
Diante da atualização, peço que comunique a Administradora para que esta atualize o recibo de aluguel enviado por e-mail.
Abraços e ótima semana!

Muito obrigado.
Atenciosamente,
IM (locatário)

Ibiza, 10/10/2017.

Resumo:
1 - Previsão contratual: Cláusula terceira, § primeiro;
2 - Índice utilizado para o reajuste: IGP-M (Índice Geral de Preços para Mercado, da Fundação Getúlio Vargas - FGV);
3 - Período de atualização: 12 meses, sendo de dd/mm/2016 a dd/mm/2017;
4 - Valor a ser corrigido: R$ ... ;
5 - Valor já corrigido para a data final: R$ ... ;
7 - Arquivo anexo: cálculo da correção do valor pelo índice previsto no contrato através do sítio do Banco Central.


<IGP-M.pdf>

>>> FIM

Espero que esse post tenha sido útil!

Na próxima parte eu contarei a vocês o que aconteceu quando a locadora (sem dúvida nem ela sabia que o reajuste seria negativo) recebeu o e-mail.


E você, leitor? Qual foi o reajuste do seu aluguel? Negativo? Positivo? Você fez vale o contrato? Renegociou?

Abraço e sucesso a todos.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Nada aconteceu...


Em relação ao último post, um mês depois de um "leve pânico" em algumas praças, tudo segue calmo... ou seja, se preocupar para quê? Vida que segue... esqueça notícias.




100% em RV. Sem aportes esse ano ainda***. Sem especulação. Alocação totalmente consciente. Talvez um movimento de swing trade nos próximos meses apenas para redistribuir a carteira.

Abraço a todos!

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Mal sinal para o dia 06.02.2018?

Nikkei abrindo em quase -4%. Bolsa chinesa deve acompanhar?
Européias?
Apenas curioso..
(Postagem do celular)



Abraço a todos e apertem os cintos!! Rs

sábado, 13 de janeiro de 2018

COMO COMPRAR TEMPO?

Hoje vou dar uma dica/exemplo muito útil e bem simples de como você pode “comprar tempo”.

Pouca gente percebe que isso é completamente possível e fazemos compra-venda de tempo "o tempo todo".

O que você faz trabalhando, nada mais é que vender o seu tempo.




A primeira coisa a definir é: quanto vale seu tempo, sua hora? Bom, para quem trabalha, a métrica é fácil. Vejamos um exemplo: Seu salário é de R$15.000,00 (líquidos) e você trabalha 8 horas por dia. Logo, significa dizer que o preço de sua hora é de R$62.50. Simples. (Favor, ver observação no final do post).

Entretanto, para uma pessoa desempregada a métrica pode não se tornar fácil. A métrica pode incluir qualificação, qualidade do trabalho e pode incluir ainda itens completamente subjetivos, como “necessidade” e “vontade”, por exemplo.

Imagine duas pessoas desempregadas com o mesmo perfil profissional, qualificação e produtividade. Agora imagine que uma dessas pessoas não tem reserva financeira como a outra e, por isso, tem a “necessidade” maior de uma renda. É bem mais provável que essa pessoa sem reserva financeira aceite uma oferta de trabalho por um valor menor do que aquela outra pessoa que não tem necessidade.

Voltemos ao tema.

Mineiro, responda logo: qual sua dica/exemplo que você irá dar nesse post para eu comprar tempo?  Dica/exemplo: limpeza doméstica.

Geralmente quando as pessoas passam a morar sozinhas elas pensam: poxa, legal, moro sozinho, o lugar é pequeno, eu mesmo posso limpar, fazer minhas coisas e não irei contratar alguém para fazer essas coisas. Não preciso gastar dinheiro com isso.

Mas, alguns meses depois, você tem outro ponto de vista.

Você mora sozinho, sua casa está parecendo um chiqueiro e nem você mesmo tem se sentido bem no ambiente. Você chega em casa do trabalho e vê toda aquela bagunça, se sente mal, detesta. Seu humor muda e você não é capaz de receber uma visita em casa.

A pia cheia de louça, roupa para lavar e passar, a pizza do mês passado ainda está na geladeira junto com o leite velho, a mussarela (ou muçarela?) e o presunto, tudo também de 30 dias atrás. A geladeira fede. O banheiro? Putz! O que falar do seu banheiro? A privada suja, toalha molhada em cima do box, o tapete molhado está ali faz 7 meses, a parede do banheiro cheia de “limo” e mofo. E por aí vai, meu amigo... tenho certeza que você sabe muito bem do que estou falando.

Então, para saber se vale a pena você pagar alguém para fazer esse serviço para você ou você mesmo fazer, você pode simplesmente calcular quanto tempo você gastaria para organizar tudo: quartos, sala, banheiro, cozinha, lavar, passar, louça, chão, roupa de cama, etc, etc, etc.

Pense aí contigo! Então você chega à conclusão de que você levaria 8 horas para colocar tudo em ordem. Pimba! Quanto vale 8 horas do seu trabalho no exemplo que estamos trabalhando? R$62,50 x 8 horas = R$500,00. Massss... leve ainda em consideração que o serviço é braçal e chato e então acrescente mais uns 20% sobre o valor do seu dia, chegando então a R$600,00. Ou seja, você poderia “se propor” a fazer tudo se recebesse, no mínimo, R$600,00/dia, isto é, R$75,00/hora.

Agora você pensa o seguinte: o preço da minha hora para fazer esse serviço é de R$75,00. Mas eu conheço a diarista Dona Fulaninha que cobra R$125.00 POR DIA para fazer tudo o que eu preciso.

Você a contrata e pronto! Você acaba de comprar tempo: 8 horas por R$125,00.

Então agora você tem à disposição 8 horas que antes seriam “utilizadas” (ou jogadas fora, como queira) na limpeza da casa e agora você pode utilizar de outra maneira: academia, aproveitar com a esposa/marido, filhos, leitura, passear, ficar com quem ama, cachorro, estudar, ler um livro, etc.

Além disso, quando você chegar em casa terá psicologicamente o que chamam de “emoção positiva”, que ajudará seu dia ser melhor e mais produtivo. Você irá acordar, ver a pia limpa e não terá aquele sentimento vazio de que em algum momento você terá que limpar aquilo. Sem contar que pia limpa é mais fácil manter do que ter que limpar depois.

Entenda que o tempo é a mercadoria mais preciosa que você tem, meu amigo. E por isso você deve aproveitá-lo melhor em seu favor, e não fazendo coisas que você não tem prazer, como uma limpeza de casa que dura 8 horas, por exemplo.

Entenda ainda que se você fizesse essa limpeza isso iria lhe custar R$600,00 em razão do preço de sua hora e terceirizando você gastou R$125,00. Você, deixando de fazer esse serviço, economizou R$475,00. Os mesmos R$475,00 que você pode aproveitar dentro dessas 8 horas de forma mais prazerosa ou simplesmente aportar.

Ok, amigo, você pode querer não terceirizar o serviço e preferir fazer tudo sozinho e aportar R$600,00 depois, imaginando que está “economizando”. Mas o objetivo do post aqui é mostrar apenas outro ângulo.

Se você mesmo quer fazer esse serviço em que irá gastar 8 horas do seu tempo porque não quer pagar R$125,00 para uma pessoa,  significa dizer que, ao economizar esses R$125,00 e trabalhar por 8 horas, sua hora de trabalho teve o preço de R$15.62/hora (125 / 8). Se sua hora tem o preço justo de RS62.50, você aceitaria por qual razão trabalhar por R$15.62/hora??

Nesse caso você teria realmente economizado R$125,00, por um lado. Mas por outro, você perdeu 8 horas de tempo.

Saiba que assim você não economizou tempo na medida em que sua hora vale dinheiro. Todos sabem que a ligação entre tempo e dinheiro é direta. Todos sabem: “Time is money!!!”

Se há algo na vida que você deve fazer, é melhor utilizar seu tempo para a sua felicidade agora e no futuro.

Saiba que se você gasta dinheiro “comprando tempo” você sobe um degrau a mais na escala de felicidade do que se você gasta dinheiro em materiais, como aquela camiseta Polo por exemplo. Isso já foi comprovado cientificamente, embora eu não me recorde no momento de onde eu tenha lido/visto isso. Mas pelo menos para mim isso é óbvio.


Observação: No exemplo proposto, a métrica considerou 30 dias mensais e desconsiderou eventual deslocamento casa-trabalho-casa. Para melhor exatidão do quanto sua hora vale, os dias úteis de um mês devem ser considerados, assim como o deslocamento casa-trabalho-casa.

Explico.

Sua jornada de trabalho é de 8 horas diárias (para facilitar, desconsidere o tempo casa-trabalho-casa). No mês “X”, com 13 dias úteis de trabalho, você recebe R$15.000,00 líquidos; No mês “Y” você recebe os mesmos R$15.000,00 com 20 dias úteis de trabalho.

Mês “X”: 13 dias x 8 horas = 104 horas de trabalho; R$15.000,00 / 104 horas = R$144,23/hora Esse foi o valor de sua hora no mês “X”.

Mês “Y”: 20 x 8 = 160; R$15.000,00 /  160 = R$93,75. Esse foi o valor de sua hora no mês “Y”.

Conclusão: hora/trabalho no mês “X” é maior que hora trabalho no mês “Y”.



Abraço a todos e sucesso sempre!!


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Casa própria não é investimento

Casa própria não é investimento.

*** https://youtu.be/aVTBQKLqGQg

https://youtu.be/kd3kHo-9XII

https://youtu.be/tATd2CrXTqk

https://youtu.be/H8ha2YFvwr0

https://youtu.be/vdgSSGoAr7s

https://youtu.be/K-_8uhxJ5h4


Post do celular. Curto e grosso!!





Ainda que você compre um imóvel para você à vista e com dinheiro próprio, o máximo que você faz é "economizar". Enfie isso na sua cabeça!

E aquilo que você faz EFETIVAMENTE com o dinheiro economizado é que pode ser chamado de "investimento". Por exemplo, se você coloca o valor economizado em FII.

Mas o simples fato de "economizar" não significa que isso, por si só, é um investimento, uma vez que você pode simplesmente não fazer nada com esse dinheiro ou até queimar (tipo na compra de um passivo: carro, por exemplo). E isso (fazer nada com o dinheiro ou queimá-lo) não é chamado de "investimento" em lugar nenhum do Universo.


Diante da falta de paciência para escrever o óbvio e tendo em vista o excesso de informações disponíveis a respeito do título, disponibilizo alguns links onde constatamos a (dura) verdade da frase: casa própria não é investimento.

Abraço e sucesso a todos!

Obs: não estou recebendo nada de nenhum canal acima para disponibilizar o link aqui.